Depois da química, dá aquele medo enorme de ter exposto os fios aos possíveis danos do processo. Na tentativa de preservá-los, recorremos a tudo que temos disponível, principalmente à famosa queratina, a proteína básica e fundamental do cabelo. O problema é que, no desespero, acabamos exagerando na necessidade e na dose, aí o efeito pode ser completamente oposto: cabelos duros e ásperos, totalmente rígidos e sem movimento, totalmente suscetíveis à quebra.

Ainda bem que excesso de queratina tem solução e nossa post você irá saber qual é. Porém, primeiro, vamos às indicações de uso da substância, pois prevenir é sempre melhor que remediar.

Você realmente precisa de queratina?

A queratina serve para repor proteínas perdidas em processos químicos, ou seja, para reconstrução dos fios. É a mais popular das substâncias reconstrutoras, apesar de outros aminoácidos também serem utilizados em cosméticos.

Só deve fazer reconstrução quem está com o cabelo totalmente danificado, daquele tipo que está em estado deplorável, frágil, quebrando, elástico… morrendo mesmo! Isso porque a função dela é preencher as lacunas das substâncias perdidas internamente no fio durante processos químicos, por tanto, se for utilizada em cabelos saudáveis ou com leve ressecamento, por exemplo, acabará por sobrecarregar os fios e gerar todos aqueles sintomas citados acima.

Mesmo assim, em casos de danos intensos, deve ser utilizada de 15 em 15 dias. O ideal mesmo é utilizar 1 vez por mês. A exceção é quando o cabelo está com corte químico (com mechas se partindo e dando adeus à cabeça aos tufos). Neste caso, é até sugerível fazer reconstruções semanais, CONTANTO que se contorne o problema da rigidez gerada pela queratina e outros reconstrutores, o que pode fazer o cabelo nada maleável quebrar ainda mais.

Exagerei e o cabelo ficou duro. E agora?

Muita calma nessa hora! Se o cabelo está duro, o ideal é utilizar produtos que devolvam emoliência e deixem os fios macios. Ativos que “desmaiem” os fios e proporcionem nutrição. O cabelo precisa de urgentemente de uma recarga lipídica. Em outras palavras: abuse de produtos com compostos como óleos e manteigas.

Mais uma novidade coloridíssima da Lime Crime – e dessa vez envolve o universo dos cabelos!

A coloração semi-permanente fantasia Unicorn Hair Lime Crime vem em 13 tonalidades, que resumem bem as tendências capilares do momento. Dá só uma olhada:

Vale a pena lembrar: a Unicorn Hair, como qualquer outra tinta fantasia, só deposita pigmentos nos cabelos, não tendo poder de clareá-los. Portanto, o resultado acima só poderá ser obtido após a descoloração do cabelo, feita para atingir aquele tom de loiro quase branco (saiba mais sobre descoloração e níveis de clareamento aqui). E retoques devem ser feito com frequência.

Como todos produtos da marca, a coloração é vegana e 100% cruelty-free. Cada potinho custa US$ 16.00 e contém 200 ml, quantia generosa para tingir um cabelo curto ou até o ombro. A venda está sendo feito pelo site da própria Lime Crime.

Estou fascinada pelos tons chocolate cherry, gargoyle, sext e neon peach. E você?

Quem também ficou morrendo de vontade de testar a Unicorn Hair Lime Crime põe o dedo aqui!

O que tá pegando agora? Ficar loira? Morena? Nada disso! Se a intenção é ficar com a cor hot now nas madeixas, a boa é ficar “lorena”, hehehe!

Bronde, combinação das palavras blonde e brunette, foi o termo escolhido para designar o tom queridinho da vez. Sabe aquele cabelo que você não consegue dizer se é loiro ou moreno, que fica exatamente no meio termo? Pois isso é o tal do bronde. Aquela coisa meio Jennifer Lopez mesmo… só não dá para confundir com o belíssimo castanho claríssimo natural pois, no caso do bronde, se nota o suave contraste entre as mechas iluminadas e o fundo mais escuro.

Só que, diferente das californianas, o tom é bem distribuído e se espalha por toda cabeça, não fica localizado só nas pontas. Mesmo assim, o resultado é bem natural, pois o bronde foi justamente criado para manter e valorizar a base escura do cabelo. Ideal para as morenas que querem ficar loiras mas tem medo de não combinar ou chocar demais.

gostei-e-agora-cabelo-bronde-hair-luzes-mechas

A intensidade varia. As mechas são feitas de maneira dispersa e não muito marcadas. Obviamente, maior a quantidade de mechas, mais loiro o resultado. No entanto, o que influencia mais ainda é a cor de base do cabelo. Quando é muito escuro, dependendo do caso, é aconselhável transformá-lo antes em um marrom, utilizando uma coloração, para aí sim fazer as luzes.

O fato é que tanto branquelinhas como morenas e negras só tem a ganhar com o tom. Nas peles mais claras, o fundo escuro cria um contraste desejado, que ressalta os traços do rosto. Nas peles mais escuras, ilumina o visual.

Apaixonada pelo bronde! E você, gosta do efeito?